Aposentado, Bolt acredita que levará muito tempo para seus recordes caírem

Durante evento de patrocinadores no Japão, jamaicano diz que era atual foi a melhor da história dos velocistas e que suas marcas só devem ser alcançadas daqui 15 a 20 anos

 

A agenda de competições ficou para trás, mas Usain Bolt segue cumprindo compromissos pelo mundo. Quase um mês após a despedida das pistas no Mundial de Londres, o mito jamaicano esteve no Japão esta semana para participar de ação de um de seus patrocinadores. Durante o evento, o Raio foi questiondo sobre o futuro das provas de velocidade no atletismo após sua aposentadoria e disse acreditar que levará um bom tempo para seus recordes serem quebrados.

– Eu acho que vai levar um tempo. Acredito que nossa era com Yohan Blake, Justin Gatlin, Asafa Powell e todos esses caras foi a melhor era de atletas. Se fosse para ser quebrado, teria sido quebrado nessa era, então, acho que levará ao menos 15 a 20 anos – afirmou Usain Bolt.

Usain Bolt encerrou a carreira após o Mundial de Londres, no início de agosto (Foto: REUTERS/Lucy Nicholson)

Usain Bolt encerrou a carreira após o Mundial de Londres, no início de agosto (Foto: REUTERS/Lucy Nicholson)

O jamaicano é detentor dos recordes mundiais dos 100m (9s58) e 200m (19s19), ambos estabelecidos em 2009. Após conquistar o tricampeonato olímpico nas duas provas e sete ouros em Mundiais, Bolt acabou derrotado nos 100m em sua despedida, no Mundial de Londres em agosto, quando terminou com o bronze após ficar atrás de Justin Gatlin e Christian Coleman. Em sua última prova, o revezamento 4x100m, sofreu com uma lesão e não concluiu a disputa, encerrando de forma dramática a vitoriosa carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *